O que fazer após uma iniciação energética


Legal!!! Você se iniciou no Reiki, ou em algum outro sistema de energia!!!

Ou então fez uma vivência com a ayahuasca!

E agora?

: D

Anúncios

Manifestar


Manifestar, criar, materializar, co-criar, são alguns dos termos que ouvimos bastante nos últimos tempos. Filmes como O Segredo, técnicas de PNL, afirmações, meditações, são algumas das técnicas usadas.

Algumas vezes isto funciona, algumas vezes não.

Mas vamos fazer um breve exercício:

– pare um pouco seu pensamento, respire profundamente algumas vezes, agora siga o que vou escrever abaixo, procure se focar, evite distrações. É rápido e fácil.

1, comece observando seu corpo. Olhe para ele atentamente, observe-o, como você é, o que você tem de belo e de feio, o que você gosta e o que você não gosta, se tem alguma dor, algum problema físico, alguma doença…

Observe, não julgue, não questione.

2. observe suas roupas, os acessórios que você usa, lembre das opções que você tem no seu guarda-roupas;

3. observe o local onde você vive, mora. A casa, o apartamento, o bangalô ou o quarto de pensão…

4. observe seu carro, se você tem um ou não, se é velho ou novo;

5. olhe agora para a sua família, seus entes queridos, sua esposa, sua namorada, seus amigos, seus relacionamentos;

6. observe a sua profissão, ou a falta de uma profissão definida, olhe seu emprego, seu patrão, ou a falta dele, a empresa para qual você trabalha, observe quanto tempo você trabalha, sua remuneração, sua recompensa pela atividade que executa, sua satisfação;

7. lembre-se da sua formação, dos cursos que fez, das faculdades, das universidades que frequentou, ou de tudo o que não fez;

8. observe a sua religião, a sua crença, as coisas que você acredita no âmbito espiritual, religioso, observe coo você manifesta isto no seu dia a dia, com devoção, com fervor ou distraidamente, sem dar muita importância.

Bom, acho que é o suficiente.

Perceba perincipalmente que pedi para você observar, para evitar o julgamento, não pedi para justificar ou buscar saídas e alternativas. Não pedi para pensar no que você poderia ter, ou no que poderia fazer. Isto é muito importante.

Primeira e mais importante conclusão:

– tudo o que você observou é fruto do seu ser, é fruto da sua consciência, da sua vontade. Tudo o que você observou é fruto do que você realmente deseja.

Ou seja, tudo o que você tem na sua vida no presente momento é resultado da sua vida e é responsabilidade única e exclusiva de você mesmo.

Tudo o que está materializado na sua vida é de sua própria responsabilidade.

Não tente justificar usando os argumentos comuns:

  • meu pai não deixou;

  • meu marido não permite;

  • meus filhs não me dão tempo;

  • a sociedade me limitou;

  • não pude estudar;

  • não tinha dinheiro;

  • não sabia, ….

  • etc, etc.

Não há desculpas.

A vida que você tem hoje é fruto de anos e anos de trabalho, de pensar, de querer.

E tudo o que você tem na sua vida hoje, de bom e de ruim, é porque você assim o desejou. É porque você investiu sua energia nisto, é o que você verdadeiramente buscou.

Não tente dar desculpas. Elas verdadeiramente são apenas isto desculpas.

Também não há razão para lamentação, choro ou ranger de dentes. Muito menos para dizer que eu estou equivocado, que eu não sei de nada.

Esta atitude é uma daquelas que você tem usado ao longo da sua vida para criar exatamente o que você tem hoje.

Pergunta:

Luis, você está dizendo que:

– se não tenho dinheiro nem para o ônibus é minha responsabilidade?

Sim.

– se estou desempregado e desesperado é minha responsabilidade?

Sim.

– se não consigo um companheiro e vivo sozinho é minha responsabilidade?

Sim.

– Se estou em um cruzeiro pelas ilhas gregas é minha responsabilidade?

Sim.

– Se estou passeando em um Camaro amarelo é minha responsabilidade?

Sim.

– se estou com câncer é minha responsabilidade?

Sim.

– se não preciso trabalhar e posso viver a vida sem preocupações é minha responsabilidade?

Sim.

Tudo, tudo o de bom e de ruim, que está presente na sua vida hoje é sua responsabilidade?

E eu diria mais….. deu um trabalho imenso para manifestar isto.

Argumentos básicos:

– quem seria louco para desejar ter um câncer?

– quem, em sã consciência, iria manifestar a pobreza e a doença em sua vida?

– quem iria desejar e trabalhar para ter dificuldades ou sofrer?

Resposta:

– todos nós ou qualquer um de nós!

Simples assim.

Tão simples e tão fácil de modificar que preferimos nem pensar no assunto.

Afinal, a desculpa de que deve ter algumas razão obscura e poderosa, muito mais poderosa do que nós, por trás de tudo o que nos ocorre é mais aceitável, é mais conveniente.

O que precisamos tomar consciência é que nem tudo o que pensamos tem realmente algum poder, alguma vontade inserida.

Precisamos atentar para o fato que perdemos tempo desejando tantas coisas sem que façamos qualquer esforço para materializá-las.

Precisamos urgentemente sair deste sono profundo, onde apenas sonhamos, sonhamos e sonhamos coisas.

Precisamos urgentemente saber que há em todos nós, seres humanos, um aspecto consciente e um aspecto inconsciente.

E mais, principalmente que este aspecto inconsciente é muito, mas muito mais poderoso do que imaginamos ou queremos.

Somos racionais… mas somos preguiçosos.

É óbvio, é claro, é racional, que ninguém deseja ficar doente conscientemente. Mas então por que ficamos?

É óbvio, é claro, é racional, que ninguém deseja passar por qualquer tipo de privação ou dificuldade conscientemente.

Mas então por que ficamos?

Resposta:

– porque estamos dormindo, sonhando, presos em um mar de ilusões.

As coisas que estão presentes em nossa vida hoje foram aquelas que realmente desejamos manifestar.

Aceite isto. E comece a buscar agora mesmo uma forma diferente de ser e de pensar que seja capaz de manifestar estas coisas diferentes na sua vida.

Outro ponto importante a ser observado é que nossa vontade é fraca.

Queremos mais, muito mais, gozar o resultado do que fazer aquilo que é necessário para obter o objeto de nosso desejo.

A parcela de nosso ser que está consciente no dia a dia é muito pequena, incapaz de discernir corretamente a respeito de nossa vida.

Quantos de nós queremos um carro novo, uma casa nova, um relacionamento mais prazeroso?

Mas quantos de nós fazem o que precisa para isto se manifestar?

Sem falar que alguns conseguem manifestar e depois não sabem o que fazer. Histórias sobre pessoas que ganharam milhões de reais, fortunas, heranças e que desperdiçaram tudo são inúmeras. História de pessoas que conquistaram algo de muito importante em suas profissões e depois destruíram suas vidas são inúmeras.

Mas então, resumido um pouco, o que fazer para manifestar coisas importantes e diferentes em nossas vidas?

A resposta depende mais de sabermos se queremos realmente algo assim do que em procurar alguma técnica capaz de resolver o problema.

Será que queremos algo diferente em nossas vidas do que aquilo que temos hoje. Por mais que isto seja ruim, doloroso e difícil.

Eu digo que a maioria não quer.

E não há nenhum pessimismo nisto, nenhum viés negativo.

Cada um de nós quer exatamente o que tem hoje me sua vida.

Esta é a experiência que nossa alma verdadeiramente deseja para nós.

Por mais que isto possa ser bom ou ruim.

O nosso aspecto racional pode concordar ou não com isto. Pode se rebelar, se debater, gritar, seja o que for. Principalmente este nosso racional dorminhoco, fraco, frágil….

Não vai mudar nada.

O que fazer para modificar a nossa vida atual.

Depende.

Novamente, você quer mesmo modificar?

Talvez os poucos bravos que estão lendo até este ponto do texto sejam alguns que querem, talvez não, talvez estejam lendo apenas porque começaram, talvez estejam lendo porque querem encontrar motivos e justificativas.

Se já surgiu em sua vida um desejo de buscar algo diferente procure questionar ele. Quão forte é? Quanto de ilusão este desejo carrega? Estou mesmo disposto a iniciar uma jornada de auto-conhecimento? Estou mesmo disposto a sair da minha letargia, do meu sono, da minha zona de conforto.

Não faça nada, absolutamente nada, enquanto não ponderar a respeito destas questões.

Pois pequenas ações darão início a grandes e irreversíveis transformações na sua vida.

Pequenas doses de consciência levarão você por mares nunca dantes navegados, por caminhos jamais sonhados.

As descobertas que você irá empreender vão lhe mostrar com quantas ilusões a sua vida é feita. Perder as ilusões pode ser dolorido, muito dolorido mesmo.

Perder as ilusões pode levar você a um estado de profunda depressão, pode lhe sugar a vontade de viver. Mas ao final vai lhe trazer algo muito importante e inestimável: você mesmo. Real, verdadeiro, feliz.

Se você não se assustou com os argumentos acima questione-se, questione-se bem profundamente, para verificar se você tem realmente consciência do que está pensando.

Este questionamento vai lhe dizer se esta sua iniciativa não é apenas mais uma, não é igual a tantas outras que você tem e que não consegue manifestar em sua vida.

O prêmio final vale a pena. Mas o esforço necessário será tão grande quanto este prêmio.

O mais engraçado de tudo é que este esforço tão grande que falo, esta vontade tão forte que menciono, não são assim tão importantes ou difíceis de se manifestar. O que é realmente complicado é a ilusão da dificuldade.

Mas isto você só vai descobrir quando resolver trilhar este caminho.

Quando resolver acordar.

:-)

Contaminação da energia do Reiki


Encontrei em alguns sites alguns comentários sobre uma possível contaminação da energia do Reiki, mas este fato pode ocorrer com qualquer outra técnica de cura.

Esta contaminação é provocada pelo ambiente ou pelo reikiano, mas principalmente por este último.

Um aspecto que precisa ser bem compreendido é a diferença entre a energia do reikiano, que continua a existir como a de todo ser humano, e a energia Reiki.

Todos nós temos o nosso Ki, que fica armazenado em uma região abaixo do umbigo, ponto conhecido como Tanden. É esta energia que nós usamos no nosso dia a dia, gastamos, repomos, perdemos, trocamos, etc.

E a energia do Reiki é independente desta, o nosso Ki pessoal não entra na formação do Reiki.

Assim a energia do Reiki não pode ser contaminada pelo ambiente ou pelo reikiano. Ela é uma energia de uma qualidade superior, de uma frequência diferente e além disto ela é manipulada pelo nosso Eu Superior, não pela nossa consciência do dia a dia.

Já a energia do ser humano, nosso Ki pessoal, pode ser contaminada por uma imensa quantidade de fatores tais como nosso estado psicológico, físico, por outras energias provenientes do ambiente e por padrões de pensamento.

Uma pessoa normal tem a sua energia pessoal afetada por um estado depressivo por exemplo e isto também ocorre com o Ki pessoal do reikiano. Ser um reikiano não nos torna diferente neste aspecto.

Quando um reikiano vai fazer uma aplicação de Reiki ele pode oferecer tanto o Reiki quanto a sua própria energia pessoal. Desta forma fica fácil perceber que a energia contaminada oferecida pelo reikiano é a sua própria, seu Ki pessoal.

Se o reikiano oferecer a usa própria energia ele vai estar suscetível de oferecer uma energia contaminada de forma negativa e prejudicial ao cliente. Será uma energia polarizada de forma equivocada, que cria um laço energético unindo os dois. Laço este que pode permanecer por um tempo maior do que o tempo da aplicação, causando prejuízos para ambos os lados.

Mas o que faz um reikiano oferecer a sua própria energia, ainda mais se ela é passível de

ser contaminada negativamente?

– O principal fator que causa a interrupção da canalização do Reiki e o início da doação de nossa própria energia é a sintonia, que é a ligação emocional entre o reikiano e a pessoa que está recebendo a energia.

Toda vez que o reikiano se “compadece” da dor do outro, toda vez que o reikiano quer resolver o problema do outro, toda vez que o reikiano não entende o sofrimento do outro, ocorre uma sintonia entre as duas energias, do reikiano e da pessoa que está recebendo.

Se o reikiano sentir pena do seu cliente, ou então tentar influenciar a aplicação em um sentido ou outro irá provocar a sintonia energética que prejudica ambos.

Se ao fazer a aplicação eu resolver que o cliente precisa parar de fumar, precisar sair da depressão eu estou criando um laço energético com o problema do cliente e me sintonizando com ele. Este processo abre a possibilidade de eu enviar o meu Ki pessoal, que pode estar contaminado, para o cliente.

Outra possibilidade é a sintonia que ocorre de forma inconsciente. Esta é bem difícil de ser observada, é bem sutil.

Esta sintonia inconsciente vai ocorrer quando eu tenho em mim o mesmo problema do meu cliente e permito que ele me afete racional ou emocionalmente. É claro que todos nós como seres humanos compartilhamos as dores e as alegrias as mais diversas, mas durante uma aplicação de energia é preciso criar mecanismos para evitar que este processo se estabeleça, pois pode prejudicar o tratamento.

O mestre Mikao Usui recomendava o esvaziar-se antes da aplicação do Reiki, ou seja, a meditação Gasshô. Havia também a recomendação da execução do Reiji-ho, indicação da alma, antes do início da aplicação.

Estas duas recomendações promovem uma separação entre as energias do reikiano e da pessoa que vai receber o Reiki. Esta separação evita a sintonia e em consequência a contaminação energética do cliente com a energia do reikiano.

Eu creio que sempre vai ocorrer algum tipo de sintonia entre o terapeuta e o cliente. É muito difícil a gente se manter intocado pela dor ou pelo problema do outro. Mas é sempre aconselhável se manter atento ao momento em que isto começa a ocorrer para bloquear o processo.

O principal indicador de que se estabeleceu uma sintonia nociva entre o reikiano e o cliente é quando o reikiano começa a sentir cansaço, fome, irritação. São indicadores de que estamos doando a nossa energia e não o Reiki.

No momento em que percebemos este fato ocorrendo devemos interromper a aplicação, nos afastar da maca e procurar nos centrar novamente, seja efetuando uma breve meditação, seja traçando os símbolos do Reiki para cortar o vínculo energético. Após este breve período voltamos a aplicação. Ocorrendo novamente estes sintomas repetimos o processo. Isto deve ser feito tantas vezes quantas forem necessárias para cortar a sintonia. Com o tempo aprendemos a fazer isto de forma bem rápida e eficaz.

A contaminação energética durante uma aplicação de Reiki ocorre e é um fato indesejado. Com o tempo e com um treinamento adequado o reikiano arrende a identificar e interromper este processo. É o caminho para nos tornarmos reikianos, canais de Reiki, cada vez melhores.

Assim, observar-se é a melhor forma para evitar que se estabeleça uma sintonia indesejada entre o reikiano e o cliente.

Aceitar também que este fato pode ocorrer e que é prejudicial para ambos também faz parte.

Um reikiano que esteja criando laços energéticos com seus clientes irá se debilitar cada vez mais, isto, com o tempo, pode comprometer a saúde física do reikiano. Permitindo o surgimento de doenças e de processos debilitantes no organismo. Por pouco tempo e em ocasiões esparsas o prejuízo pode nem ser sentido, mas com a repetição sistemática o dano é considerável.

É preciso estar atento!

:>

Sons na aplicação de Reiki


Estes dias durante uma aplicação de Reiki eu me senti inclinado a fazer alguns sons junto com a música que estava tocando, um mantra muito tranquilo e legal de ouvir e melhor ainda de usar nas aplicações.

Depois, durante a conversa com o cliente, ele me relatou que gostou bastante de ouvir a minha voz junto com a música.

Foi algo bem básico, cantei meio que envergonhado ainda, como principiante. :>>

Mas foi interessante!

Hoje conversando com a minha irmã que voltou do curso de Maná com a Kátia ela me relatou que várias vezes recebeu a instrução para verbalizar alguma coisa, um som qualquer.

A própria Kátia nas sessões de Frequências de Brilho verbaliza alguns sons quando sente ser o momento necessário.

Depois destes insights todos me sinto mais entusiasmado para melhorar este aspecto da aplicação. A música é um ponto fundamental no meu trabalho e já comentei sobre isto várias vezes aqui no Blog. Agora acredito que o próximo passo é usar a minha voz junto com a música e talvez mais adiante apenas a minha voz quando eu sentir que é necessário, quando tiver alguma intuição a este respeito.

:>>

Chama Violeta


Solar Violet Flame

Fonte:   http://eop.mybigcommerce.com/the-new-5th-dimensional-solar-violet-flame-poster/

Eu uso a Chama Violeta desde o primeiro curso de Magnified Healing.

Lembro até hoje da vivência, pois foi muito marcante.

Um pouco antes da professora ler o texto com a ativação da Chama eu comecei a sentir algo em minhas mãos, algo indefinido. Parecia uma pequena flor, mas se movimentava, crescia, diminuía.

Quando a professora comentou sobre a Chama Violeta e sobre a ativação da mesma foi que eu entendi o que estava acontecendo.

Desde aquele dia tenho usado bastante a Chama Violeta. Em mim, em locais por onde eu ando, nas pessoas que encontro e nos clientes de terapias, para transmutar energias e efetuar limpezas energéticas.

Recentemente fiz um curso sobre a Chama, mas ainda não recebi o certificado para postar aqui.

Entretanto nestes últimos dias e hoje principalmente tenho sentido alguma dificuldade em usar esta ferramenta. Não é que não esteja funcionando mas por alguma razão estava exigindo mais concentração e visualização do que o habitual.

Agora a pouco recebi um e-mail de uns colegas onde constava um texto interessante sobre a Chama Violeta. Reproduzo a seguir:

– CHAMA VIOLETA SOLAR CRISTALINA DA 5ª DIMENSÃO

Os créditos e a fonte estão no PDF.

O texto é um pouco confuso, mistura ma série de conceitos e divindades, mas parece coerente no seu aspecto global. Se a modificação na Chama violeta for para melhor será ótimo, pois é uma ótima ferramenta.

Efetuei a afirmação e o decreto.

Agora vou aguardar para testar e verificar se ocorre alguma alteração. Em breve relato.