Texto sobre orgonites – parte 1

Orgonite azulOrgonites

Uma forma rápida e prática de definir os orgonites é chamá-los de pequenas máquinas. Eles funcionam 24 horas, convertendo todo tipo de energia disponível no ambiente em energia harmônica, positiva e estável, própria para o uso das pessoas e seres sencientes.

Normalmente as pessoas se referem apenas a energia negativa, energia desequilibrada ou desarmônica, mas isto é uma simplificação com a finalidade de explicar de forma simples a utilidade dos orgonites.

O funcionamento do orgonite é bem simples: a resina, material orgânico, atrai a energia e o metal, material inorgânico, repele. Dentro deste processo de atração e repulsão a energia é despolarizada, ou seja, perde a sua característica positiva ou negativa, e é liberada como energia pura. Posteriormente foi acrescentado o quartzo com a finalidade de acelerar o processo bem como modular a energia que é gerada pelo orgonite.

Existem várias controvérsias e respeito do orgonite, do seu funcionamento e, mais recentemente, algumas pessoas acabaram por efetuar modificações na forma básica mas mantiveram o nome, o que acaba por causar muita confusão para os que estão começando a se interessar pelo assunto.

O termo orgone foi criado por Wilhelm Reich na década de 30 para denominar uma energia que ele identificou e sobre a qual efetuou diversos estudos.

A aproximação do trabalho de Reich com os orgonites se deu quando o mesmo desenvolveu as famosas ORACs, as caixas acumuladoras de orgone. Estas caixas eram compostas de lâminas de metal e material orgânico. As caixas acumulavam o orgone no seu interior e podia ser utilizado para beneficiar pessoas e animais, além de energizar alimentos colocados em seu interior. O único detalhe das ORACs é que elas precisavam ser montadas em locais onde a energia fosse pura, boa para seres humanos. Assim eram montadas em fazendas e locais mais afastados, já que as caixas não conseguem separar o tipo de energia que vão armazenar.

As ORACs são apenas acumuladores. Elas absorvem a energia orgone que está ao redor e as acumulam em seu interior. Se a energia for boa, acumula energia boa, se for ruim, acumula ruim. Este é o único cuidado a ser tomado com estes instrumentos.

Apesar do nome do Reich ser continuamente ligado as orgonites ele não teve ligação com este material, que foi desenvolvido bem depois da sua morte. Acredito que esta referência seja uma forma, um pouco equivocada é claro, de legitimar as orgonites, dar a este material um caráter científico e válido. Muitas pessoas gostam destas referências, se sentem seguras. Mas acredito que isto não é necessário, creio que aos poucos a informação correta será divulgada e estes pequenos pecados serão corrigidos.

As orgonites funcionam, independente da crença das pessoas, e seus benefícios podem ser observados de vária formas, este assunto será melhor desenvolvido mais adiante.

:>

Um comentário sobre “Texto sobre orgonites – parte 1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s