OM


OM

Este é o símbolo em sânscrito para o OM, o som sagrado, o gerador de todos os mantras.

É um dos mais conhecido símbolos do Hinduísmo.

É o som do Universo!!!

O som da criação.

Fonte:
http://www.metododerose.org/blogdoderose/cursos/om-om-aum-capitulo-do-meu-livro-tratado-de-yoga/

Acima uma medalha, ou colar, de orgonite com o desenho, ou yantra!!

:>

Anúncios

Hamsá – o gesto da paz


Hamsá

Hamsá

Prece do Hamsa ligado a Kaballah:

Não permita tristeza entrar por esses portões,

Não permita problemas vir por esses muros,

Não permita conflitos nesse lugar,

Que esse lugar seja lugar de benção, alegria e paz.

A Hamsá é um talismã que protege contra a inveja e o mau-olhado.

Oriundo da cultura árabe é muito popular entre praticantes do Judaísmo, Islamismo e também do Budismo.

Basicamente hamsá é o termo usado para o número 5. Assim como hamesh, sendo que Hamsá é de origem árabe e hamesh de origem judaica.

A imagem da mão espalmada está presente também no Budismo, é o mudrá Abhaya, significando destemor, ou a dissipação do medo.

Este amuleto possui ainda nomes diferentes de acordo com a cultura no qual está inserido:

  • Mão de Fátima, sendo esta a filha preferida do profeta Maomé;

  • Mão de Miriam, sendo esta a irmã de Moisés e Aarão;

  • chamada de Mudrá Abhaya.

Existem diversas variações do amuleto, algumas contendo um olho na palma da mão, outras letras em hebraico, diversas figuras composições de cores.

Segundo a Wikipédia existem evidências arqueológicas de que este símbolo é ainda mais antigo, ligado a Fenícia e a deusa Tanit, cuja mão seria capaz de afastar o mal.

Mudrá Abhaya

A vertente do Budismo é que mais afinidade eu tenho. O gesto de mão direita espalamda e levantada na altura do coração que o Buda faz afastando o mal é muito poderoso. Transmite paz, tranquilidade e segurança.

É um mudrá: posturas feitas com as mãos usadas na Ioga, na dança e nas imagens sagradas do Budismo para despertar e harmonizar os centros energéticos do corpo.

Contam histórias de que o Buda fez este gesto quando um elefante furioso surgiu a sua frente, o gesto acalmou e deteve o animal.

Este gesto da mão espalmada sendo colocada a frente do corpo também está ligado a uma exteriorização de energia, a mão com os dedos todos reunidos funciona como um amplo emissor de energia. Se você for reikiano isto será muito natural de ser executado.

Este singelo, e poderoso, gesto feito com a mão é encontrado em muitas outras culturas e atividades humanas, porém sem um nome específico. É o gesto de abençoar, de se despedir e de receber. Parece estar incutido em toda a Humanidade. Sendo aceito por todos como prova de paz e tranquilidade.

Tenho usado este símbolos nos colares e medalhas de orgonite que fabrico. Ficam muito bonitos.

Colar Hamsá

Colar Hamsá

Fontes:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Hams%C3%A1

Miriam

http://pt.wikipedia.org/wiki/Miri%C3%A3

Fátima

http://pt.wikipedia.org/wiki/F%C3%A1tima_(filha_de_Maom%C3%A9)

Tanit

http://pt.wikipedia.org/wiki/Tanit

Prece

http://escoladekabbalah.com/339/

Mudrás – as Mãos Como Símbolo Do Cosmos. Ingrid Ramm-bonwitt

:>

Texto sobre orgonites – parte 3


Rei de orgonite

Composição final de um orgonite

A forma definitiva que se assume como orgonite é uma mistura de metal, resina e um quartzo.

A presença do quartzo no interior do orgonite gera uma pequena corrente elétrica que surge devido a compressão produzida pela resina, é o chamado efeito piezoelétrico. Esta energia acelera o funcionamento do orgonite tornando-o então útil para as mais diversas aplicações.

Temos uma consideração interessante onde existe a necessidade da colocação de um quartzo que é chamado de pedra principal do orgonite. Esta pedra pode ser de vários tipos, desde que gere o efeito piezoelétrico: quartzo, ametista, Turmalina, Calcita e Citrino entre outros. E uma pedra secundária, que não gera necessariamente o efeito mas agrega alguma qualidade interessante ao orgonite, podemos citar: Ônix, Turquesas e Lapis Lazuli entre tantas outras.

Apesar das opções creio que o quartzo representa a melhor delas. Tanto pela forma e tamanho quanto pelas características naturais da pedra. O quartzo aceita a colocação de uma programação, que vai afetar a energia emitida pela orgonite. Quando esta programação estiver ausente, ou se esvair, o cristal vai assumir as qualidade naturais que são: atuação em todos os processos de cura, harmonização da energia, nos liga com nossa consciência, ajuda na concentração e reestabelece o equilíbrio do corpo físico.

Podem ser colocados também pedras auxiliares, conforme a preferência da pessoa, mas não é algo fundamental, tendo em vista que o quartzo pode ser programado para atender qualquer necessidade oferecida por outras pedras. Mas as pedras auxiliares são úteis além de embelezarem o orgonite.

A resina pode ser substituída por outro componente orgânico como o mel ou a parafina. Mas cada uma destas alternativas apresenta alguma dificuldade para a construção da peça. Sendo que o principal é a falta de pressão sobre o cristal de quartzo. Também podemos citar a questão da forma, da embalagem, como no caso do mel, que precisamos colocar em uma garrafa ou vidro.

A resina apresenta então vantagens muito importantes pois além de se moldar aos diversos formatos apresenta uma pressão constante sobre o quartzo e mantém-se estável por muito tempo, apresenta também uma boa resistência mecânica e pode ser colorida com muitos tipos de corante para adquirir uma cor agradável.

Os metais usados no orgonite são basicamente o cobre, o alumínio e o ferro. Seja pela sua facilidade de obtenção quanto as possibilidades de manuseio como no caso do cobre, com ele podemos criar diversos símbolos e figuras para embelezarem o orgonite.

O cobre e o alumínio são preferidos principalmente pela alta condutibilidade elétrica, o que facilita a expansão da eletricidade gerada pela quartzo por toda a estrutura da orgonite, desde que o metal esteja espalhado na peça é claro.

O cobre apresenta como vantagem importante uma massa maior do que o alumínio e este fator pode ser importante na construção do orgonite conforme veremos mais adiante.

O ferro possui a maior massa de todos, mas sua condutibilidade elétrica é a menor. Mas é um metal fácil de ser obtido e relativamente barato. É interessante o seu uso para dar massa, peso, a orgonite, principalmente no caso de usar apenas o alumínio que pode gerar um desequilíbrio frente a quantidade de resina.

O cobre pode ser adquirido em rolo ou em forma de fio encapado em lojas de materiais elétricos, nas espessuras de 1, 1,5, 2,5 e 4 mm. cada uma delas apropriada para diferentes tamanhos de orgonite.

Já o alumínio pode ser obtido em empresas que trabalham com este material, tais como fabricantes de janelas, portas de alumínio ou com molduras. Normalmente são utilizadas pequenas aparas do metal que são resíduos do processo produtivo. As aparas, ou limalhas com são conhecidas, variam de tamanho e qualidade, possibilitando diversos trabalhos diferentes.

A criatividade deve ser usada para adaptar a colocação do metal na orgonite mas alguns cuidados em relação ao equilíbrio dos componentes devem ser tomados. Veremos este detalhe no próximo tópico.

:>

Texto sobre orgonites – parte 2


pequenas 2

Como surgiu o orgonite

Por volta da década de 90 Karl Hans Welz iniciou experimentos com um gerador de Ki, ou Chi, que tinha estreita ligação com o trabalho de Reich e também com o trabalho de outros pesquisadores mais antigos, dentre os quais podemos citar: Franz Anton Mesmer, Franz Bardon e Patrick Flanagan.

Karl Welz afirma que o seu trabalho se conduziu independente do trabalho de Reich e de outros e que só mais tarde tomou conhecimento das similaridades. O trabalho de Karl Welz é fundamental no desenvolvimento das orgonites, mas sua linha de pesquisa o levou para outros campos de desenvolvimento com o uso de vários recursos para incrementar o funcionamento das suas invenções de forma independente do orgonite.

Karl chegou mesmo a registrar o nome orgonite, como forma de se prevenir contra cópias e pessoas inescrupulosas que tentaram se apropriar do seu trabalho pioneiro. O que foi uma atitude muito sensata devido a série de modificações e alterações que posteriormente ocorreram e ocorrem.

Os equipamentos produzidos por Karl Welz chamaram a atenção de Don e Carol Croft. Dos experimentos destes dois é que surgiram os orgonites como os conhecemos hoje.

A grande contribuição de Don e Carol consistiu na inclusão de um quartzo no interior do orgonite. O quartzo gera o efeito piezoelétrico que acelera o funcionamento do orgonite.

Além disto o casal deu início a um movimento chamado Gifting, ou presentear, no qual as pessoas davam orgonites de presente para familiares e amigos, distribuindo o conhecimento e disseminando as práticas com os orgonites.

Don associou os nomes TB, tower buster, ou caçadores de torres para pequenos orgonites que eram jogados ao lado das torres de comunicação, de energia ou de celulares. Criou também a HHG, holy hand granades, ou granadas santas de mãos. Estes eram orgonites um pouco maiores, como as pirâmides, usados em residências e em outros locais diversos tais como: jardins para compensar energia telúrica, garagens, locais de trabalho.

O casal continua seus experimentos até hoje e desenvolveu outros equipamentos baseados em orgonites.

:>

Texto sobre orgonites – parte 1


Orgonite azulOrgonites

Uma forma rápida e prática de definir os orgonites é chamá-los de pequenas máquinas. Eles funcionam 24 horas, convertendo todo tipo de energia disponível no ambiente em energia harmônica, positiva e estável, própria para o uso das pessoas e seres sencientes.

Normalmente as pessoas se referem apenas a energia negativa, energia desequilibrada ou desarmônica, mas isto é uma simplificação com a finalidade de explicar de forma simples a utilidade dos orgonites.

O funcionamento do orgonite é bem simples: a resina, material orgânico, atrai a energia e o metal, material inorgânico, repele. Dentro deste processo de atração e repulsão a energia é despolarizada, ou seja, perde a sua característica positiva ou negativa, e é liberada como energia pura. Posteriormente foi acrescentado o quartzo com a finalidade de acelerar o processo bem como modular a energia que é gerada pelo orgonite.

Existem várias controvérsias e respeito do orgonite, do seu funcionamento e, mais recentemente, algumas pessoas acabaram por efetuar modificações na forma básica mas mantiveram o nome, o que acaba por causar muita confusão para os que estão começando a se interessar pelo assunto.

O termo orgone foi criado por Wilhelm Reich na década de 30 para denominar uma energia que ele identificou e sobre a qual efetuou diversos estudos.

A aproximação do trabalho de Reich com os orgonites se deu quando o mesmo desenvolveu as famosas ORACs, as caixas acumuladoras de orgone. Estas caixas eram compostas de lâminas de metal e material orgânico. As caixas acumulavam o orgone no seu interior e podia ser utilizado para beneficiar pessoas e animais, além de energizar alimentos colocados em seu interior. O único detalhe das ORACs é que elas precisavam ser montadas em locais onde a energia fosse pura, boa para seres humanos. Assim eram montadas em fazendas e locais mais afastados, já que as caixas não conseguem separar o tipo de energia que vão armazenar.

As ORACs são apenas acumuladores. Elas absorvem a energia orgone que está ao redor e as acumulam em seu interior. Se a energia for boa, acumula energia boa, se for ruim, acumula ruim. Este é o único cuidado a ser tomado com estes instrumentos.

Apesar do nome do Reich ser continuamente ligado as orgonites ele não teve ligação com este material, que foi desenvolvido bem depois da sua morte. Acredito que esta referência seja uma forma, um pouco equivocada é claro, de legitimar as orgonites, dar a este material um caráter científico e válido. Muitas pessoas gostam destas referências, se sentem seguras. Mas acredito que isto não é necessário, creio que aos poucos a informação correta será divulgada e estes pequenos pecados serão corrigidos.

As orgonites funcionam, independente da crença das pessoas, e seus benefícios podem ser observados de vária formas, este assunto será melhor desenvolvido mais adiante.

:>

Programando o cristal do seu orgonite


Um orgonite é composto por três itens: resina, metal e um cristal.

O cristal é uma peça importante pois ele fornece eletricidade, através do efeito piezoelétrico, e também aceita a implantação de uma programação, para direcionar a energia que está sendo gerada pelo orgonite.

Veja no vídeo um pouco mais sobre este assunto:

:>

 

Vídeo sobre colares e medalhas de orgonite


Uma forma prática e interessante de utilizar os orgonites é através de colares, medalhas e pingentes.

Estes pequenos itens podem ser colocados no pescoço, no caso dos pingentes e colares, ou levados no bolso, na bolsa, na carteira, no caso das medalhas.

Desta forma podemos aliar as vantagens dos orgonites com objetos pessoais e adornos artesanais.

Um vídeo com comentários e  exemplos:

:>