Dimensões

Nos meios esotéricos fala-se muito em dimensões. E este falar contém muitos desejos, muita imaginação e muita fantasia.

 Este falar une uma evolução ao aumento das dimensões.

 Como se seres mais evoluídos vivessem em dimensões maiores.

 Nós, subdesenvolvidos seres humanos da 3ª dimensão, olhamos com avidez os habitantes da 5ª dimensão, quase da mesma forma que um habitante pobre de uma região qualquer do globo olha seus irmãos de países desenvolvidos.

 E apesar de uma grande, imensa, tentativa de comprovar este fato, de justificar esta afirmativa pouco pode ser considerado após uma análise isenta e racional. Em outras palavras: há muito delírio e fantasia e pouco conhecimento concreto.

 Mesmo que a subjetividade será inerente neste processo, mesmo que seja necessário alçar-se a estados meditativos e ampliados de consciência para atingir estas dimensões o que sobra ao final é muito pouco confiável, a tradução é incorreta.

 Uma breve pesquisa na net nos oferece uma gama imensa de teorias absurdas, de conceitos equivocados e de afirmações inexatas. Ao mesmo tempo em que parecem fascinar cada vez um número maior de pessoas.

 Talvez seja uma reação natural. Talvez o ser humano não consiga viver sem estas extravagâncias, sem estes delírios de seres mais evoluídos, sem a paz que é oferecida pela crença de que alguém melhor do que nós virá nos salvar de nós mesmos!

 Como se irmãos mais velhos vindos de outras dimensões surgissem no planeta e em um passe de mágica todo os nossos problemas fossem resolvidos. De preferência sem stress, sem trabalho, sem custo e, principalmente sem dor e sofrimento.

 E, se observarmos, este sentimento é antigo. A maioria das civilizações humanas sempre acreditou neste salvamento providencial. É claro que antigamente pouco importava de que dimensão viria o salvador, o importante sempre foi que existiria um salvador. Ou seja, alguém que faria aquilo que não queremos fazer.

 E não queremos mesmo. Não queremos melhorar e nem melhorar o planeta.

 Queremos viver!!!!

 Não importa o que isso signifique ou custe.

 Viver é importante. E viver é comer, beber e se divertir.

 Trabalhar? hummm, trabalhar na maioria dos casos é uma obrigação que se cumpre para poder viver. É um mal necessário.

 

 Neste ponto eu gostaria de mencionar que não estou deprimido! :>>

 Também não estou indignado com algo ou alguém, que não estou descrente do ser humano, que não estou sem fé no futuro. Ou algo semelhante.

 Estou bem crítico.

 Estou bem observador.

 Estou bem consciente.

 E estou bem tranquilo.

 Mesmo que o ser humano destrua a si mesmo e ao planeta, apesar da perda ser imensa, a vida continua. Ainda seremos espíritos e continuaremos a plasmar nossas crenças em um lugar qualquer do astral. Ainda teremos nossos problemas e necessidades, continuaremos iguais, apenas não teremos um corpo físico!!

 

 Dois vídeos interessantes para complementar este texto:

 O primeiro está dividido em algumas partes e é sobre as dimensões, é necessário ativar as legendas em português no canto inferior direito do vídeo:

 

 –

O segundo é sobre os humanos e o planeta:

 

 —

:>

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s