Sobre as enchentes

Aqui na região de Blumenau tivemos três grandes eventos recentes ligados a água. Em 2008, em 2011 e agora em 2013.

A intensidade das chuvas causou alagamentos, deslizamentos, perdas as mais diversas em termos materiais além de emocionais.

A nossa região já vem apresentando isto há muitos anos, mas se intensificou ultimamente. Tirando fora questões ambientais como desmatamentos, poluição e a ação humana em termos de ocupação de áreas mais suscetíveis podemos, e eu creio que devemos, pensar esta questão sob outro aspecto. Não sei se espiritual ou metafísico seria a palavra indicada!

Mas a água está ligada a questões emocionais, aos nossos sentimentos. E esta ação dos rios transbordando nos remete também as nossas emoções transbordando.

É claro que as enchentes não são exclusividade de Santa Catarina, ocorrem ao redor do mundo. São cíclicas também. Tem causas muitas vezes extremamente específicas. Certo.

Mas mesmo assim é necessário se pensar nesta questão emocional. Pesquisar, observar, analisar de que forma as emoções da população estão sendo tratadas, de que forma a população destas áreas se relaciona com seu aspecto emocional a ponto de serem necessários estes eventos para que ocorra um equilíbrio.

Todos os habitantes da região são afetados, não apenas aqueles que tiveram suas casas invadidas pela água ou seus bens perdidos. Negócios são adiados, festas e comemorações perdem o sentido, viagens e turismo em baixa, diversas situações são colocadas em estado de espera até que tudo volte ao normal.

Assim, não são as emoções apenas daqueles que são afetados diretamente pelas águas que estão em ebulição. São as emoções de todos os habitantes da região afetada.

E o que, em termos emocionais, nos liga a todos?

O que, em termos emocionais, não está recebendo a devida atenção?

São perguntas profundas e importantes.

Passa pela atenção que cada um de nós dispensa a buscar uma resposta a correção dos rumos para que os eventos não sejam mais necessários.

Infelizmente a maioria de nós não faz mais do que se lamentar……

Resta para alguns poucos mais lúcidos buscar dentro de si mesmo respostas e explicações capazes de influenciar os demais para que também iniciem um processo de cura interno.

Se muitos não são capazes por si próprios de iniciar um processo de crescimento destes os poucos que conseguem ter este tipo de consciência precisam se responsabilizar por isto. E, assumindo esta responsabilidade, dar o exemplo necessário.

Exemplo que não precisa ser verbal, que não precisa ser exposto publicamente, mas que se manifestará energeticamente, mentalmente, espiritualmente.

A mudança de consciência de uns poucos irá se espalhar e atingirá outros tantos.

Não é um processo muito complicado. Exige mais sinceridade e honestidade com seus próprios sentimentos e emoções do que qualquer outra coisa.

Mas não podemos dizer que seja algo simples ou fácil.

Entretanto, precisa acontecer. Pois esta série cíclica de enchentes e alagamentos precisa ser modificada. Ou então, se isto continuar a ocorrer é porque a sua sequência ainda tem alguma razão de ser.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s