A mente

Existem diversas definições para a mente.

Algumas enfocam sob o aspecto psicológico, científico ou então filosófico e algumas vezes a sabedoria popular também nos auxilia a entender este maravilhoso mecanismo.

Ultimamente eu tenho observado a mente como um filtro.

Existe o mundo lá fora, o Universo. E existe a nossa consciência, nosso Eu Superior.

A mente se interpõe entre esses dois e efetua a tradução das energias e informações.

A realidade é simples, prática, direta.

A interpretação de cada um de nós é sempre desfocada. Sempre influenciada pela forma como a nossa mente foi elaborada desde o dia em que nascemos.

Alguns de nós possuem uma mente mais leve e efetuam a tradução das energias de uma forma também leve, tranquila e feliz.

Enquanto que outros possuem um filtro pesado, cheio de limites e crenças, estes acabam por fazer uma tradução mais pesada, mais carregada de problemas e dificuldades.

Durante uma terapia eu consigo observar este filtro se interpondo entre a realidade e a consciência da pessoa que estou atendendo.

Algumas vezes se torna fácil perceber as crenças, os limites que as pessoas se impõem. É fácil perceber quando o filtro está desviando, alterando a realidade para que ela se adapte as suas necessidades.

Em algumas situações a forma de atuar da mente, distorcendo a realidade, fica tão evidente que por isto mesmo não é percebida pela pessoa. Em outras situações pode-se notar os mecanismos da mente para deformar o filtro. Os desvios…. as negações…. as interpretações equivocadas.. o uso de razões inadequadas as situações.

Por mais incrível que possa parecer alterar estes padrões é muito fácil, muito simples. Entretanto é preciso que este seja o objetivo da consciência. Neste ponto pode-se observar que a maioria não quer alterar os padrões. Seja por um efeito de inércia, seja por comodismo. Resta então respeitar a opção de cada um, ao mesmo tempo em que se salienta as fissuras que estão surgindo no filtro, ressaltando os pontos onde uma determinada forma de traduzir a realidade não é mais satisfatória. Para então permitir que no devido tempo a consciência busque uma forma de alterar este padrão e crescer.

Uma das principais e mais simples ferramentas disponíveis é a dúvida.

Duvide, duvide de tudo.

Quando frente a uma determinada situação a sua mente responde de pronto, rápida, sem pensar, sem analisar, sem ponderar!!! Lance a dúvida! Pergunte-se da onde surge aquela reposta, aquela reação.

Permita-se duvidar de si mesmo.

Através deste simples exercício novas fissuras surgirão no seu ser, e elas permitirão que mais luz, ou seja, mais realidade, passe através do seu filtro.

Quanto menos informação for filtrada mais próximo da realidade você estará.

Quanto mais próximo da realidade mais paz, tranquilidade, amor e confiança em Deus surgem em seu Ser.

:>

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s