Ayahuasca – 6a vivência

Neste sábado, 29 de junho tive a oportunidade de vivenciar mais uma jornada com a ayahuasca.

Cada vivência é diferente, falar isto é como chover no molhado, ou seja, não há nenhuma novidade, mas eu penso que a gente sempre fica surpreso com o que ocorre.

Existe aquele padrão de eventos que sempre se acontecem: um tempo de meditação e calmaria até que os efeitos do DMT cheguem ao cérebro, alguns efeitos físicos, efeitos visuais, mirações, insights, cansaço e fim.

A cada vez que tomamos o chá eles se repetem, variando em duração e intensidade.

Já fazem três vivências que venho pedindo ao xamã que nos orienta para reduzir a quantidade de chá que estou ingerindo. Ainda não cheguei ao nível mínimo que seria um gole, um pequeno gole. Estou com a quantidade para dois pequenos goles atualmente. E tenho ficado também apenas com a primeira dose, sendo que alguns companheiros de jornada tomam duas ou mesmo três.

Nesta redução da quantidade o que eu percebo é que:

  • os efeitos físicos e visuais se reduzem bastante, ficando praticamente inexistentes;
  • praticamente não ocorrem alterações de equilíbrio e na capacidade auditiva;
  • sinto um pouco de náuseas ocasionalmente mas não sinto vontade de vomitar;
  • os desconfortos no estômago se reduzem drasticamente;
  • há uma redução no número de insights, mas eles permanecem;
  • a vivência não fica prejudicada, ao contrário eu creio que fica melhor, que aproveito bem mais a atuação da ayahuasca.

Mas estes itens que listei acima são bem particulares. Já tenho um longo histórico de meditação e vivências com expansão da consciência e isto me proporciona uma certa facilidade para aproveitar o processo.

Vou continuar buscando a dose ideal por assim dizer. A quantidade que me proporcione uma boa qualidade de vivência com um impacto físico reduzido.

No post anterior eu chamei esta ayahuasca de sorrateira. Mas não no mal sentido, não como uma conotação ruim, mas sim pela forma de atuação.

Foi muito interessante a vivência desta semana. E diferente de todas as demais nas quais eu já havia detectado um certo padrão e que me percebia avançando.

Um dos fatores que pode ter contribuído para os efeitos foi a questão da chuva que tem caído há quase duas semanas na região. Sendo que na noite anterior e neste sábado choveu muito e de forma constante. Isto pode ter provocado um efeito de liberação de energia para o inconsciente muito forte, uma ligação muito intensa com este material que normalmente está oculto.

O que aconteceu durante toda a vivência e que deu razão ao nome foi que a cada onda de DMT eu perdia a consciência.

Não havia como evitar.

Não havia um aviso, físico ou energético, a onda chegava e eu perdia a consciência.

Por mais atento e concentrado que eu estivesse não consegui evitar a ação.

Nas primeiras vezes ficava uma sensação de desperdício, de derrota. Depois comecei a perceber que este seria o formato da vivência e que não valia a pena brigar com isto. Mesmo assim procurei me manter inutilmente consciente e racional.

A vivência começou um pouco mais tarde do que o habitual e foi bom pois o grupo se manteve em estado meditativo, todos tranquilos em uma ótima preparação para o momento de beber o chá.

Tomamos o chá por volta das 20:15 hs.

Eu estava com o estômago um pouco agitado, tenso, por conta do percurso de carro até o sítio ter sido muito estressante a chuva deixou a estrada de chão batido muito perigosa. Mas a sensação passou pouco depois de beber o chá.

Senti uma grande expansão do chacra coronário por um longo período após ter ingerido o chá, este efeito foi bem marcante. Eu sempre comento que é dor na cabeça e não dor de cabeça. Mas a expansão não provocou nenhum insight ou percepção fora do normal, deve ter servido apenas como preparação.

Aproveitei também o tempo antes da atuação da ayahuasca para me aplicar Reiki. Foi um período bem intenso de aplicação, focado na região do cardíaco e umbilical.

Os primeiros e leves efeitos do DMT começaram por volta das 22:01 hs. Quase duas horas após a ingestão. Neste intervalo fiquei meditando, respirando e me aplicando Reiki. Acho que fiz um pouco de Ho´oponopono também… :>>

Por volta das 22:10 hs eu resolvi me deitar, para aproveitar melhor a vivência. Esta é a forma como eu funciono melhor!

Eu gosto de usar uma técnica do Robert Monroe chamada Foco 10 e Foco 12. No primeiro eu conto até 10 o que promove um relaxamento físico progressivo e constante. Chegando no Foco 10 o corpo está tranquilamente acomodado, dormindo em repouso absoluto e a mente alerta e desperta. No foco 12 ocorre uma expansão da consciência.

Este processo funciona melhor com as músicas do hemy-sinc, mas depois de algum treino pode ser implantado sem elas.

Entretanto, durante o período que estive deitado eu não consegui chegar nestes estágios nenhuma vez. Fato totalmente diverso das vezes anteriores.

Creio que o máximo que eu consegui contar foi até o 8. Quando a onda do chá me pegava de forma sorrateira, sem qualquer aviso, sem qualquer chance de interceptação do processo.

Basicamente eu estava com o corpo tranquilo deitado e a mente alerta, observando e começava a contar, chegava no 5, 6 no máximo e pronto: inconsciência!!!

Não tenho a menor ideia do tempo que eu passava sob a ação do DMT, não ficava nenhuma lembrança residual, nada, eu voltava apenas com a percepção de ter sido engolfado por alguma coisa que me arrebatava sem chance de reação.

Mal eu voltava, tentando me reorganizar mentalmente e BUMMM… nova onda e novo período inconsciente. Passei assim o tempo inteiro. Tentando, tentando e sendo vencido. Miseravelmente vencido. :>>>

mas o importante é que eu percebi o que estava ocorrendo e não fiquei brigando com o processo, só tentava manter a racionalidade e lembrar de algo para analisar posteriormente.

Diferente das outras vezes o número de insights foi zero! Nada, nada, nada de percepção.

Quando tudo terminou eu estava tranquilo, o corpo relaxado, sem sono e bem calmo. Muito calmo. Mas estava com fome, muita fome, algo diverso também das outras vezes. Fiquei algum tempo deitado observando a movimentação dos colegas e depois me levantei para participar das músicas e da conversa final onde compartilhamos as vivências.

Não foi um período muito longo. Mas por volta das 4 horas todos fomos dormir. Foi um sono básico, interrompido algumas vezes pelo frio. Deveria ser 9 horas quando todos já tinham levantado e estavam se preparando para o café.

O domingo transcorreu relativamente tranquilo. Alguns momentos de irritação sem muita razão mas nada mais marcante.

A noite foi razoavelmente ativa, com sonhos muito lúcidos.

Na viagem para Brusque na volta ao trabalho começaram a surgir os primeiros efeitos da atuação do chá. Mas isto vou relatar mais tarde.

:>

 

 

Anúncios

5 comentários sobre “Ayahuasca – 6a vivência

  1. Ol essa vivencia maravilhosa j tem quase trs anos que eu compartilha dessa maravilha, ter aconscincia do que somos quem somos uma coisa divina o sofrimento maior quando no aceitamos as verdades sobre ns mesmo e o orgulho fala mais alto tambm. foi ai que eu penei um pouco ate entender e comear a me entender. nas primeiras vezes minha pele queimando ardia tanto parecia que estava despregando do meu corpo e eu no parava quieta foram momento de muita aflio eu s vomitei duas vezes e assim mesmo foi muito pouco.Eu nunca tinha falado sobre essas experincias pra ningum no por email s pra minhas irms por que alm de ser minhas irms de sangue tambm em comunho. tantas coisas maravilhosas que at hoje eu na acredito. abrao Date: Mon, 1 Jul 2013 23:41:23 +0000 To: elzamaria.lima@hotmail.com

    Curtir

  2. Algumas vezes ao beber o chá sinto muita queimação na nuca e no braço direito, e depois arde como se tivesse passado gelou, um ardido geladinho, minha pressão arterial sobe bastante também, e nas ultimas 3 vezes que tomei vomitei tanto que parecia que ia virar do avesso, a força veio forte demais, e eu via um monte de desenhos ao mesmo tempo, e para todo lugar que olha tudo parecia se comunicar comigo de alguma maneira e tudo remetia ao vomito, no momento foi desesperador, parecia que ia perder o controle e ia enlouquecer ou morrer, só depois de algum tempo melhorei e tive mirações e insigths muito bons……..

    Curtido por 1 pessoa

  3. Olá pessoal,
    Estes relatos de vocês são sintomas de purificação. Limpeza física e energética.
    Mas um detalhe precisa ser verificado. Se vocês não estão ingerindo mais chá do que o corpo de vocês pode aguentar.
    Se tiverem a oportunidade tomem uma quantidade menor para experimentar o resultado.
    Grato

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s