Crenças e Sistemas de Crença

Dois pontos muito importantes na nossa busca de auto-conhecimento são as nossas crenças e nosso sistema de crenças.

Estes dois pontos definem muito do que somos, facilitam o trabalho da nossa mente que não precisa mais ficar pensando, definindo, buscando bases para muitas coisas que acontecem na nossa vida.

Mas, ao mesmo tempo em que ajudam, as crenças também podem nos limitar, principalmente a partir do momento em que nos tornamos muito rígidos e intransigentes, ou seja, muito presos a uma determinada crença ou sistema delas.

Existe um ditado antigo: diga-me com quem andas e te direi quem você é!

Sabendo das pessoas com quem convivemos podemos tirar informações que vão dizer o que somos.

Eu diria então: diga-me no que acreditas e te direi quem você é!

Sim, aquilo no que acreditamos nos define. As nossas crenças influenciam nossa percepção da realidade, nossas decisões, nossas escolhas na vida.

Mudando as crenças mudamos nossa vida.

É algo bem fácil de falar, talvez até de estruturar uma forma de fazer isto, definir um método. Mas colocar em prática é extremamente doloroso.

Creio que o principal obstáculo seja a nossa mente. A mente humana se baseia no que conhece, no passado. A mente precisa de uma base sólida para se movimentar, mesmo que esta base não seja totalmente real ou comprovável. A mudança assusta, confunde uma máquina extremamente rígida: a nossa mente.

Surge então a pergunta:

  • precisamos mudar de crença?

E a resposta  é um sim e um não.

A resposta será um não quando ainda estamos satisfeitos com as crenças atuais, quando elas ainda satisfazem as nossas necessidades, quando elas ainda respondem aos nossos questionamentos.

A resposta é um sim quando as crenças atuais se tornam obsoletas. Quando a nossa insatisfação se torna tão grande que não conseguimos mais viver com a gente mesmo. Quando as perguntas ficam sem resposta. Então é hora de mudar.

Com base no parágrafo anterior eu diria que existem duas formas de mudar de crença:

  • uma forma racional e planejada;
  • uma forma natural.

Qual das duas é a melhor, mais correta, mais interessante?

Depende de cada pessoa e do momento em que as pessoas estão vivendo.

Ao longo da nossa vida naturalmente vamos trocando de crenças. Eliminando algumas e absorvendo outras. É um processo, lento ou rápido, não importa, faz parte do ser humano.

Mas as vezes a nossa consciência nos coloca em contato com certas informações e o processo se acelera. Então caímos na primeira alternativa, usamos a mente para efetuar as mudanças de forma mais rápida.

Algumas vezes vamos seguir um método e algumas vezes o outro.

Mas a medida que ficamos mais e mais despertos a forma natural vai ficando ultrapassada, já não responde as nossas necessidades na velocidade que precisamos.

Mas a mudança de uma certa crença por outra sempre vai implicar em um certo sofrimento. Ao menos mental.

Mudar uma crença significa fazer coisas que não fazíamos antes. Significa ter uma energia em nosso ser que antes não existia.

Mudar de crença praticamente nos torna um pessoa diferente.

E a esta mudança surgem diversas reações.

Algumas são ligadas ao nosso passado, quase uma auto-sabotagem, não queremos perder o que temos, não queremos ser diferentes do que somos, por mais que isso nos traga sofrimento.

Outras são ligadas ao ambiente em que vivemos. As pessoas que convivem com a gente. Elas também não querem nos perder. Querem a gene sempre do mesmo modo, sempre agindo da mesma forma. É mais fácil assim, fica mais fácil de lidar, conviver e controlar.

Ao mesmo tempo a mudança nos oferece novas oportunidades, novos pontos de vista. E isto é muito benéfico, mas também envolve um pouco de sofrimento. O novo assusta muito.

A medida que mudamos a crença a entrada de energia em nosso ser aumenta, permitindo assim que a gente possa enfrentar as novas dificuldades. Após o período inicial, de dúvidas, dificuldades, avanços e retrocessos, o processo se estabiliza. A vida se estabiliza em um novo patamar, para que no futuro isto tudo volte a ocorrer.

Praticamente todas as técnicas complementares promovem um incremento na velocidade do processo de troca de crença.

Aumentar a nossa energia, recuperar a que perdemos ou estancar um vazamento de energia antigo nos oferece esta possibilidade.

Neste ponto eu colocaria o Reiki. Muitas pessoas levam anos para chegar ao Reiki. É o processo individual de cada um de nós. Nada está errado, tudo está certo. Apenas a nossa mente é que tenta atrapalhar!!

Bom, há muito assunto ainda que eu gostaria de escrever sobre crenças!!

:>

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s