Corpo Humano

Viver no planeta implica em ter um corpo físico. No nosso caso um corpo humano mas poderia ser um animal, um vegetal, ou seja, existem outros tipos de corpos disponíveis para serem experienciados.

Viver no planeta com um corpo físico implica em aceitar algumas condições. Condições inerentes a todos os corpos físicos, em uma imensa gama de graus de sensibilidade.

Cada um de nós, dentro destes limites, vivencia o seu corpo físico de uma forma única. Por mais que as experiências sejam semelhantes elas nunca serão iguais, pois as consciências que as experimentam são diferentes.

A adequação da consciência a estas regras e limites também é uma variável muito ampla. Nem todos aceitam as regras e nem todos querem seguir.

Por exemplo, uma regra básica: o corpo precisa de alimento. Sem o alimento o corpo definha e morre. Mas esta regra tem as suas variações, tanto que alguns precisam se empanturrar de comida enquanto que outros buscam viver de luz. Mas, independente da escolha, todos precisam se alimentar.

Se vamos fazer o corpo sofrer pelo excesso ou pela carência de alimento é uma decisão da consciência.

Sendo que o ideal é ficar no meio, ter um pouco de cada coisa, experimentar a fome e a saciedade, o excesso e a falta de alimento.

Creio que a consciência sempre tenta modelar o corpo de acordo com as suas experiências.

Poucas vezes encontramos um ser humano satisfeito com o seu corpo. Poucas vezes encontramos um ser humano capaz de ouvir o seu corpo e se adaptar a ele.

Lembrando ainda que muitos de nós já são capazes de escolher o tipo de corpo que vai ter antes de iniciar uma vivência física. Planejamos o que precisamos no mundo físico, mas mesmo nestes casos parece que o resultado nunca é o esperado.

Como se ao chegar aqui, ao se adquirir consciência, a gente esquecesse tudo, inclusive de nós mesmos. E o corpo que a gente tem não nos agrada mais. E ao constatar este desagrado a consciência reage de forma a se afastar do corpo.

E se afastando do corpo geramos infelicidade!

Pensamos o corpo, mas não sentimos o corpo.

Olhamos o corpo, definimos o corpo físico, mas…. não sentimos o corpo físico.

Interessante observar que muito de nós ao começar a pensar, ao começar a ter consciência, acabam por negar o corpo físico. Pois o pensamento sabe que o corpo adoece e morre. E morrer assusta o pensamento.

Observamos também que muitos seres humanos vivem o corpo físico na forma de um sonho, sem tomar os cuidados necessários, desgastando, usando sem cuidado esta ferramenta fantástica. E o fruto desta ignorância é a dor e o sofrimento. Novamente.

Eu penso nos que estão no meio disto tudo! Existem alguns de nós assim, que usam o corpo físico de forma correta, que usam a mente de forma correta. Não sei se são muitos ou poucos, mas existem.

E é extremamente agradável percebê-los. Muitos ainda fazem isto dormindo, autômatos, enquanto que outros já estão despertos.

:>

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s