Floral nº 10 – Larch


Dando sequência no uso dos Florais de Bach o escolhido foi o Larch (Larix Decídua). Foi uma escolha consciente pois senti aflorarem a minha consciência alguns sintomas que estavam vinculados a este floral.

O Dr Bach escreveu:

Larch: para os que não se consideram tão bons nem tão capacitados quanto quem os rodeia, e que esperam o fracasso, sentindo que nunca farão nada bem, e que, por isso, não se arriscam nem se esforçam o suficiente para obter exito.

O Larch está no grupo: Para o desalento ou desespero.

Uma outra perspectiva:

Larch (Lariço, Pinheiro Laríceo)

Árvore européia da família das Coníferas que chega a atingir 30 metros de altura. Decídua é o revestimento do útero que é desprendido após o período menstrual ou depois do parto. É também tudo aquilo que cai, caidiço, caduco.

O Lariço ganhou este sobrenome por usas pinhas que caem. Começam aqui as sincronicidades do floral Larch com aqueles que se sentem descartáveis, caídos. É ideal para quem nutre sentimentos de inferioridade.

Na verdade, o tipo Larch, em seu íntimo, é até mais capaz do que a maioria, mas não consegue se perceber assim. Do mesmo modo o Lariço, externamente, apresenta uma casca cinzenta, sem vida, mas, por dentro, é de coloração vermelha, símbolo de força e vida.

Seus sabores amargo e picante-quente atuam nos estados desequilibrados de Metal-Yin (bronquite, asma, faringite, laringite, prostração, melancolia e baixa-estima) e Água-Yin (cistite, impotência, depressão e desanimo)

Fonte: Florais de Bach de Henrique V Filho, página: 91.

 

Caminho do Meio


O Caminho do Meio faz parte do conjunto de ensinamentos do Buda Gautama.

Ele nos oferece uma forma de viver diferente, mais consciente, mais produtiva e mais integral. Entretanto tem suas exigências. Colocar em prática estes ensinamentos pede um boa dose de paciência, dedicação e disciplina.

Colocar em prática estes ensinamentos na nossa vida diária, agitada, apressada e cheia de oportunidades exige ainda mais. Talvez para um monge vivendo em um retiro em algum lugar distante seja mais fácil, mas para a maioria de nós deve ser algo bem complexo.

Me agrada muito esta visão, tento incorporar ela no meu dia a dia dentro das minhas limitações, dentro das minhas possibilidades.

Ao mesmo tempo eu penso que existem duas perspectivas diferentes, não excludentes, mas opções que eu posso adotar, para lentamente me adaptar a esta realidade. Vou colocá-las abaixo, opção A e B. Eu me inclino pela B, em alguns momentos, e pela A, em outros… :>>>

a) O Caminho do Meio é um imposição, ou seja, eu devo abdicar dos excessos, subjugar meus sentimentos, meus pensamentos, minha mente, para me manter no equilíbrio?

– se esta for a opção eu creio que está equivocada. Porque neste caso há uma disputa, um conflito interno, entre aquilo que a natureza quer, que é natural em cada ser, e diferente de um ser para o outro, e o que a mente considera ideal, razoável.

Penso que esta escolha leva a um grande desgaste energético, mental e emocional. Mas também penso que deve-se ponderar a respeito e optar por ela em alguns casos. Assim a nossa mente usa seus recursos e toma as decisões de forma mais consciente.

b) O Caminho do Meio é uma resultante. Ao final, após experimentar os dois opostos, naturalmente eu me situo no meio, no equilíbrio.

– nesta opção não há conflito. Eu não me forço a uma escolha me me desagrada, ou que me agrada e que gera culpa ou ressentimento.

Creio também que escolher desta forma é mais difícil, mais complexo. Exige mais atenção, mais foco nas escolhas, nos resultados e no fato de que temos de assumir a responsabilidade por tudo o que fazemos.

Mas penso que é mais natural.


São questões a se ponderar.

Complementar ou Alternativa


Não sou uma pessoa que utiliza os recursos da língua portuguesa de forma impecável, nem gosto muito de usar termos técnicos complicados. Preciosismo também não é algo que me agrade muito então prefiro, dentro do possível, simplificar. Mas as vezes não podemos fugir do uso de certas palavras pois podemos induzir mitas pessoas a um erro muito grande.

Recentemente as diversas técnicas holísticas, dentre as quais o Reiki, sofreram uma alteração muito importante na sua denominação.

Muitos terapeutas, médicos e clientes ainda se referem a estas práticas como alternativas. Agora são chamadas de Complementares.

Eu gostei bastante da mudança, pois a antiga denominação dava margem a interpretações equivocadas.

Penso que chamar uma técnica de alternativa significa dizer que ela é uma opção a outra. Normalmente uma terapia alternativa é dita como uma opção para a medicina tradicional.

Quando você chama uma técnica de alternativa praticamente está dizendo que a medicina tradicional não foi capaz de resolver o problema e assim buscou-se outra opção. Fica um pouco implícito também que deve-se abandonar o tratamento tradicional em prol de uma alternativa.

Soma-se a isto a questão de que uma técnica alternativa surge com uma opção quase que final, ou seja, quando todas as possibilidades da medicina tradicional se esgotaram chegou a hora de tentar uma alternativa.

É um pensamento muito equivocado, mas muito comum.

A partir do momento em que se passa a usar a palavra Complementar tudo o que foi relatado acima se modifica. E se modifica para melhor.

Um tratamento, uma técnica complementar, passa a ideia de que é algo para ser usado em conjunto com a medicina tradicional.

Considero a mudança nos termos extremamente positiva. Ajuda em muito todos os profissionais que trabalham na área holística. Ajuda também os clientes no momento de buscarem uma destas técnicas, deixando-os mais seguros.

Tanto o Reiki, quanto outras técnicas, podem e devem ser usados junto com medicamentos e procedimentos diversos da medicina. O uso da palavra Complementar transparece isto, que é um auxílio, um complemento.

Uma ideia incorreta é pensar que podemos prescindir da medicina tradicional, que podemos deixar de tomar antibióticos ou qualquer outro medicamento para nos tratarmos apenas com uma técnica de cura, por mais natural e poderosa que ela seja. A maioria dos terapeutas procura salientar junto a seus clientes que não devem interromper seu tratamento médico, mas ainda assim existe uma certa ilusão de isso pode ocorrer.

É preciso que mais e mais pessoas utilizem o termo Complementar e esqueçam o alternativa. Assim estaremos contribuindo de forma efetiva para melhorar as relações entre os terapeutas, os clientes e seus familiares e também com os médicos.

Assim: Reiki pode ser classificado como uma técnica Complementar.

 

 

Lakshmi


Texto sobre a Lakshmi que está no Youtube junto com a música que eu postei a pouco, está em espanhol e eu fiz uma tradução, digamos razoável:

Lakshmi

Segundo a filosofia hindu, que um decreto, petição ou manifestação funcione requer três elementos:

  • um Mantra: é o decreto em si. Muita prosperidade está chegando;

  • um Mudra: Um gesto, atitude ou lembrete. Neste caso a imagem de Lakshmi;

  • um Sutra: O mais importante dos três. Sua intenção de fazer as coisas acontecerem.

O nome Lakshmi vem do sânscrito significa, etimologicamente, perceber ou observar. É sinônimo de Laksya, que significa objetivo.

Lakshmi é a deusa através do qual você vai alcançar seus objetivos através da observação si mesmo e percepção correta do mundo.

O significado dos deuses e deusas hindus é diferente do significado ocidental de Deus.

Deusas hindus representam qualidades que estão dentro de você, e que você tem o potencial para aflorar.

Normalmente um Deus hindu ou deusa é representada com quatro ou mais mãos.

Lakshmi tem duas flores de lótus, um em cada mão superior, são o símbolo de sua pureza interior e poder espiritual.

Em outra mão direita um mudra de oferecimento e na outra mão esquerda um jarro de sua riqueza interior.

Lakshmi está rodeada por dois elefantes que são o símbolo da realeza, e novamente de abundância e prosperidade.

Um elefante confiante a cada dia que encontrar 225 kg de ervas, arbustos e folhas: pasto para se alimentar. E as encontra!

Em sua busca derruba árvores, abre caminhos.

Milhares de animais mais fracos estão se beneficiando de sua confiança. Totalmente próspero, o elefante é o removedor de obstáculos.

Lakshmi se senta em uma flor de lótus é um símbolo de pureza. A flor de lótus cresce em pântanos e está sempre limpa.

É cercada por riquezas em seus pés e só precisa estender a sua mão generosa para alcançá-los.

A prosperidade é baseada em um princípio simples: quanto mais você dá, mais você recebe.

Neste caso, para quantas mais pessoas você enviar esta mensagem, mais prosperidade chegará a suas mãos.

Agora, você tem que estar muito alerta, muito perceptivo do que está acontecendo em ao seu redor e os sinais de prosperidade começarão a se manifestar.

Se você só enviar a mensagem e esquecer da Lakshmi não perceberá como a prosperidade se manifesta.

Talvez a mesma coisa teria acontecido na minha vida, mas estar ciente de como se manifesta minha prosperidade é o que dá valor ao poder da minha Lakshmi interior e me lembra que eu sou próspero.

Milagres são mudanças de percepção.

Nós apenas temos que ter o cuidado para ver que a nossa vida é cheia de milagres.

Eu gostei particularmente desta parte:

Deusas hindus representam qualidades que estão dentro de você, e que você tem o potencial para aflorar.

:>

JiN Ji DU Li


Uma técnica chinesa bem interessante, faça o teste:

JiN Ji DU Li

 

Notem que primeiro assumimos a posição de olhos abertos, o que é bem fácil, em seguida fechamos os olhos. Aqui as dificuldades começam, manter o equilíbrio é bem complicado. Mas creio que com treino é possível aumentar o tempo. Apesar da recomendação de 1 minuto por dia.

Observando as imagens do Google é possível notar que existem alternativas, outras posições, que contemplam inclusive as mãos.

Um vídeo exemplificando o movimento, entretanto pode se perceber que pode existir uma alternância entre as pernas e, neste exemplo não se fecham os olhos.

Aqui um vídeo em espanhol, onde se traduz o JiN Ji DU Li como: o galo de ouro se mantém sobre uma pata. O vídeo é sobre Tai Chi.

Fonte: encontrei tantos sites com o mesmo texto e as mesmas imagens que optei por não indicar nenhum deles. :<

:>

Lakshmi


Recentemente eu tive algumas vivências muito significativas no aspecto espiritual. Em um destes momentos senti muito forte a presença da deusa Lakshmi.

Conheço muito pouco sobre ela. A referência mais próxima foi de uma amiga que me contou sobre uma estátua que possuía.

O Google oferece uma coletânea de imagens belíssimas.

Vou pesquisar e a medida que descobrir mais irei postando aqui no blog.

Fique com um vídeo e uma música muito belos que encontrei: