Meditação com uma árvore

O planeta Terra executa dois movimentos básicos no espaço:

  • um deles é a rotação, é o giro em torno do seu próprio eixo. Este movimento dá origem ao dia e a noite, com uma duração de 24 horas;
  • o outro é a translação, ou revolução, que é o movimento em torno do Sol e dá origem ao ano terrestre, com 365 dias.

Segundo este site, podemos considerar na verdade 13 movimentos distintos, mas isto já foge ao objetivo deste post, ficando mais como conhecimento.

O vídeo a seguir ilustra muito bem:

Eu citei estas informações pois existe um exercício, como se fosse uma meditação, que é muito interessante de ser executado e trás alguns benefícios muito importantes.

A maioria dos seres humanos compartilha uma noção muito ruim, que é a noção de que estamos desconectados do restante do Universo. Esta separação tem uma série de razões e podemos ficar um longo tempo conversando sobre ela, mas não é o meu objetivo neste momento.

Contam, li isto em um dos livros deles mas não lembro qual!!!, que o psicólogo Pierre Weil fazia uma pergunta ao seus alunos:

  • onde está a natureza?

A resposta era, invariavelmente, um apontar para montanhas, florestas, animais, rios…. ou seja, tudo o que estava fora, não incluindo o próprio ser humano. Assim temos esta noção de que não somos a natureza, somos seres que ficam a parte de tudo o que existe.

Esta noção de separação é muito ruim, causa uma diversidade enorme de problemas para o planeta.

  • Que razão tenho eu para cuidar da natureza se não faço parte dela!!!!

Acho que muitas pessoas pensam assim!! Como se pudéssemos existir sem o restante do planeta!!

Então o exercício que eu vou propor vai trabalhar profundamente esta sensação, este sentido, de desconexão.

Não é algo difícil de executar mas vai necessitar de um pouco de dedicação e também de uma concessão interna nossa, uma liberação de nosso sentido de controle. Ao final vai resultar em uma percepção muito grande de nossa integração com o Universo e vai abrir um pouco o nosso ser para outras percepções que não apenas as do dia a dia.

Mas vamos ao exercício:

Para executar este exercício precisaremos de um local onde possamos encontrar uma árvore, seja um jardim, um bosque, o quintal de nossa casa.

Não importa muito o tamanho da árvore, a idade dela ou o tipo. Apesar de que no começo buscar uma árvore mais antiga, grande e imponente possa facilitar. Depois de algum tempo isto já não terá muita importância, qualquer árvore nos permitirá executar o exercício.

Talvez seja preciso muita perseverança no começo pois algumas coisas, principalmente nossa mente, tornam o exercício um pouco complicado. A sensação de ridículo, a impressão de que não estamos fazendo nada de útil é muito comum.

Vamos lá:

  • reserve um tempo para o exercício de 15 a 30 minutos devem ser suficientes;
  • acalme sua mente, respire, relaxe um pouco;
  • depois aproxime-se da árvore escolhida;
  • faça uma breve saudação a este ser, se for reikiano envie Reiki como uma oferenda;
  • faça um contato mental. Peça auxílio e permissão para que o contato físico se estabeleça e que ela, a árvore, possa te auxiliar neste momento;
  • aproxime-se da árvore e a abrace por alguns instantes;
  • afaste-se um pouco, fique a uma distância em que seus braços estendidos toque o caule;
  • coloque os pés levemente afastados e estenda os braços até tocar o caule da árvore, apoie-se levemente no caule;
  • leve a sua atenção, sua consciência para o seu corpo, observe a tensão, veja se está confortável, se a posição escolhida está agradável, se não há nada causando algum incomodo, se os pés estão bem assentados do chão;
  • leve a sua atenção para a árvore: observe a textura do caule, o cheiro, o vento nas folhas, se o caule se curva, se agita;

*** Neste momento é importante que nos deixemos levar. É necessário permitir o contato. Talvez não aconteça nas primeiras vezes, por isto insista.

A medida que vamos direcionando nossa atenção para a árvore, para o espaço ao redor, vamos ampliando nossa consciência e nos conectando com o ser, a árvore, e com o planeta.

Após observar tudo isto com os olhos abertos. Feche-os.

Comece a perceber o seu corpo, a árvore e todo o restante ao seu redor com todo o seu ser.

A ampliação de consciência que ocorre permitirá um contato muito forte com a árvore e com o planeta.

Depois de alguns instantes a sensação que sobrevém é a de uma fusão completa. Nós somos a árvore e a árvore somos nós.

Outra sensação que vai surgir é a de integração com a árvore de uma forma muito ampla.

Neste momento surge uma percepção muito especial, muito muito agradável. A sensação de perceber o próprio movimento de rotação do planeta. Este momento pode ser muito sutil, muito rápido ou então se instalar em nosso ser de uma forma profunda e completa.

Perceber que estamos girando no espaço junto com o planeta é uma sensação sem igual. É um estar conectado a algo maior. Um voltar a se conectar na verdade. Um relembrar.

Após algum tempo você vai voltar para o seu próprio corpo.

E guardará esta experiência com muito carinho.

Neste momento podem surgir várias sensações dentro de nós: tranquilidade, alegria, saudade, nostalgia. As vezes até uma pequena revolta.

Aproveite momento, observe a você mesmo e procure não se julgar.

Talvez você não consiga executar o exercício completo da primeira vez, talvez nem na décima. Mas não desista. Vale a pena persistir.

Quem quiser compartilhar sua experiência ou suas dúvidas fique a vontade.

:>

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s