Sobre os Florais

Usar os Florais, principalmente os de Bach é muito simples. Uma leitura atenta das características de cada grupo pode indicar rapidamente o mais adequado.

Entretanto, uma correta aplicação dos Florais requer um pouco mais do que isto. É preciso saber por onde começar, qual sequência indicar e quanto tempo o cliente deverá usar uma determinada essência. A avaliação correta do estado do cliente e qual a indicação do Floral é algo que requer uma certa experiência e responsabilidade. Além disto tudo o acompanhamento é fundamental. De nada adianta recomendar um Floral e não fazer um acompanhamento se o mesmo está sendo tomado, se o cliente está sentido as repercussões que a essência promove e se o mesmo está conseguindo lidar com estas questões.

O mais comum é iniciar-se um tratamento com o Floral e acabarmos por esquecê-lo em uma gaveta ou armário. Nem sempre é por descaso ou por não crer que o mesmo tenha algum resultado. É como tomar um remédio comum, muitas e muitas vezes esquecemos o horário e a dosagem correta. Desta forma os resultados não são os esperados e acabam muitas vezes por criar uma grande frustração no cliente.

Outras vezes ocorre de buscarmos um Floral para outra pessoa, seja um familiar ou um amigo. Esquecemos neste caso de perguntar ao destinatário se ele está disposto a se tratar desta forma. Esquecemos mesmo de perguntar se a pessoa quer se tratar! Nestes casos a pessoa não vai levar muito a sério o tratamento, não vai ter a disciplina necessária para dar sequência e se modificar. Não é o caso de culparmos ou de acusarmos a pessoa, antes é um caso de respeitar a decisão do outro.

Com esta argumentação não quero deixar uma regra sobre a busca de um terapeuta para se tratar com Florais, mas com certeza é o mais indicado. Um Terapeuta Floral saberá avaliar mais do que o discurso padrão que repetimos para todos a respeito de nossos problemas e doenças. O terapeuta saberá identificar verdadeiramente as reais motivações e desta forma poderá escolher o Floral mais indicado.

Criar um vínculo com um terapeuta também nos motiva mais a seguir o tratamento e a comparar os resultados. A disciplina se torna mais fácil de ser seguida e também a confiança que o profissional nos passa serve como motivador. Durante a conversa com o terapeuta poderemos observar mais do que fazemos costumeiramente e evitaremos armadilhas e fugas a que estamos acostumados.

Mesmo assim poderemos sempre interromper o tratamento quando não nos sentirmos bem, quando os efeitos não forem bem resolvidos. A cura é sempre nossa responsabilidade, muitas vezes podemos precisar de mais tempo do que imaginamos para realmente iniciarmos um processo consistente de cura.

 

:>

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s