Varredura da Aura


A varredura da aura é uma técnica executada no final de uma aplicação de Reiki, de Magnified Realing, ou mesmo de outra técnica onde o cliente entre em um estado de relaxamento profundo.

Seu objetivo é insuflar energia de forma rápida e intensa para que o cliente retorne a sua consciência.

Durante uma aplicação de Reiki é comum o cliente atingir um estado avançado de relaxamento, muitos dormem profundamente. Ao final é preciso que o cliente retome suas atividades, muitos voltam para o trabalho, precisam dirigir um carro, descer escadas, entre outras atividades. O relaxamento pode produzir uma descoincidência entre os corpos energéticos e manter este estado pode ser realmente muito perigoso principalmente no caso de dirigir.

Assim o reikiano usa esta técnica para reconectar o cliente, trazê-lo de volta a sua consciência ordinária, do dia a a dia.

É preciso muita atenção por parte do reikiano em observar o estado geral do cliente, pois mesmo descer da maca pode ser problemático e a possibilidade de uma acidente é real.

Mas nem sempre é necessário usar a varredura da aura, é preciso um pouco de observação para verificar se o procedimento é necessário. Pode-se, é claro, utilizar a técnica como um procedimento padrão, ou seja, aplica-se a varredura em todas as aplicações.

Normalmente o cliente retoma seu estado normal de consciência em alguns minutos, mas alguns podem demorar mais do que outros. Assim o reikiano precisa estar atento as necessidades de cada um, mesmo porque as vezes temos atendimentos em sequência e isto não deixa muita margem para que se espere o retorno normal do cliente, nestes casos a varredura é muito útil.

A varredura da aura não é uma técnica exclusiva de reikianos, pode ser usada por outros terapeutas, entretanto nestes casos a energia usada será a do próprio terapeuta.

Vamos ver a técnica:

  • com o cliente ainda repousando na maca movimente suas mãos a uma distância de 15-30 centímetros, sem tocá-lo;

  • execute movimentos rápidos dos pés em direção a cabeça e retorne para os pés, faça isto de duas a três vezes;

  • os movimentos podem ser em linha reta, seguindo a linha da coluna ou então circulares, mas sempre rápidos.

A energia oferecida e a velocidade com que efetuamos o processo é que serão responsáveis por reativar todo o sistema energético do cliente de forma rápida e eficaz.

Eu procuro observar o estado do cliente ou então usar a intuição do que seguir um padrão. Recorro a esta técnica ocasionalmente, apesar de observar o estado de relaxamento dos clientes consigo gerenciar o tempo entre as aplicações para permitir que eles retornem a lucidez de forma gradual e tranquila, aproveitando bem o momento. Mas já aconteceram casos onde a varredura foi fundamental para que o cliente se sentisse bem.

Faça sua experiências com a técnica e observe os resultados. Troque informações com o seu cliente sobre o efeito.

Anúncios

Alisamento da aura


O alisamento da aura é uma prática que o reikiano pode fazer antes e depois da aplicação, ou mais comumente: somente antes. Isto se deve ao fato de que após a aplicação do Reiki espera-se que as energias do clientes estejam harmonizadas, assim não é necessário executar nenhum outro processo.

O alisamento consiste em se passar as mãos sobre o corpo do cliente de forma a uniformizar o campo áurico, espalhando energias densas e miasmas que estejam aderidos a aura do cliente com o Reiki que flui de nossas mãos. Serve também para iniciar o primeiro contato mais profundo entre as energias dos envolvidos na terapia, o cliente e o reikiano.

Para executar a técnica:

  • o reikiano deve passar as mãos sobre o corpo do cliente a uma distância de 15-30 centímetros, sem tocá-lo;

  • isto deve ser feito com o cliente deitado, pois nesta posição o campo áu­rico estará distribuído de forma mais homogênea. É importante não tocar no cliente e nem afastar muito as mãos para obter um resultado mais eficaz;

  • faça movimentos de média velocidade com as mãos espalmadas, o reikiano pode sentir vontade de espalhar as mãos sobre a aura do cliente, como se estivesse espargindo energia ou afastando algo denso;

  • comece pela cabeça e desça até os pés. Repita o processo duas ou três vezes.

Um ponto importante de ser mencionado é que durante o alisamento é comum se observar o fluir do Reiki para o cliente a medida que as mãos se movimen­tam sobre o corpo do mesmo. Mesmo que seja um processo rápido isto não impede o Reiki de se manifestar neste estágio do tratamento.

Destaca-se que a intuição deve nortear o uso da técnica de alisamento da aura, ou então seguimos um padrão: sempre executar ou nunca executar. Isto torna a aplicação mais prática e não perdemos tempo, e muito menos ficamos perdendo energia, nos decidindo a cada aplicação se executamos ou não a técnica.

O reikiano deveria então experimentar a técnica e observar os resultados, optando depois por usar ou não, como padrão, em seus atendimentos.

  • no meu caso eu deixo por conta da minha intuição. Em algumas aplicações eu me sinto inclinado a usar e em outras não. Mas não fico preocupado, ou me cobrando, por ter escolhido aplicar ou não a técnica.

É preciso comentar sobre uma pequena confusão muito comum. O alisa­mento da aura é uma prática diferente do escaneamento. Pois este último tem como objetivo identificar pontos de acúmulo de energia nociva, presença de miasmas, pontos de tensão que por ventura estejam presentes no corpo do cli­ente.

O escaneamento deriva-se, provavelmente, da aplicação da técnica do Byosen, que consistia basicamente em localizar as áreas problemáticas do corpo do cli­ente passando a mão sobre o mesmo. Mas falaremos mais do Byosen em outra ocasião.

Outro ponto de confusão é a varredura da aura, uma outra técnica interessante que o reikiano pode usar nos seus atendimentos, mas que possui uma diferen­ça fundamental das duas anteriores.

Existem também pontos de contato entre estas três técnicas que poderemos observar ao final da explicação nos posts que se seguirão.

6a sessão de Rolf


Mais uma sessão de Rolf, a sexta.

Desta vez o trabalho ocorreu na parte posterior do corpo, nas pernas e nas costas. Ao final senti o corpo muito relaxado mas em alguns momentos a dor foi bem forte e em alguns pontos eu senti um pouco de cócegas também.

Os braços permaneceram na lateral da maca, mas eu os senti um tanto desconectados, sensação que já tinha começado nos dias que antecederam a sessão.

Senti um certo desconforto na garganta e na traqueia, quase no final da aplicação, talvez antecedendo a próxima região a ser trabalhada.

Em alguns momentos em que as costas foram trabalhadas parecia que a Lilia escolhia os pontos onde iria encontrar algo tenso ou travado, não sei bem qual expressão usar para definir.

A sensação de que meu abdômen não aceita mais ser contraído pela minha postura continua bem marcante, serve como sinal de alerta para que eu possa corrigir a postura.

Provavelmente como resultado desta sessão tenho estado bastante introspectivo durante o restante da semana, talvez com algumas energias e emoções sendo liberadas.

:>

Aura


A aura humana é a nossa assinatura energética. É um campo de energia gerado pelo somatório de todo os nossos aspectos físicos e sutis. De acordo com a escola, ocidental, oriental, budista, indiana, entre tantas, temos uma classificação para este campo de energia. Cada um segue aquela com a qual se afiniza mais no momento. Eu gosto muito do modelo usado pela Barbara Brennan no livro Mãos de Luz.

Através de nossa aura podemos interagir com o ambiente ao nosso redor, trocando informações, basicamente trocando energia.

Aura e chakras estão intimamente ligados, cada chakra está relacionado com uma determinada camada. Os chakras são pequenos vórtices responsáveis pela troca de energia entre os corpos do nosso ser.

A aura se divide em camadas segundo a Barbara menciona em seu livro. As camadas mais próximas do corpo físico são mais densas e se tornam mais diáfanas e sutis quando se afastam do corpo.

Vamos ver a seguir um descritivo:

Camada

Nome

Chakra

Plano

1a

Corpo Etérico Básico Físico

2a

Corpo Emocional Umbilical Físico

3a

Mental Plexo Solar Físico

4a

Astral Cardíaco Astral

5a

Modelo Etérico Garganta Espiritual

6a

Corpo Celestial Frontal Espiritual

7a

Corpo Ketérico Coronário Espiritual

As figuras foram retiradas do Livro Mãos de Luz, da Barbara Brennan:

 

Reciclagem de sacolas plásticas


Há alguns anos assistimos um embate entre ambientalistas, população e algumas empresas a respeito do uso e descarte das famosas sacolas plásticas de supermercado.

Acusações de ambas as partes, algumas pesquisas com pouca base científica, informações equivocadas, justificativas diversas e o fato é que as sacolas continuam a ser usadas.

É a velha mania de querer forçar alguma coisa. A população em geral se acostumou com as sacolas de supermercado, elas são práticas, servem para armazenar algumas coisas em casa e depois de usadas no transporte podem ainda acondicionar o lixo doméstico que é retirado pelo serviço municipal de coleta. Para as empresas a sacola serve também como meio de propaganda, para divulgar produtos, parcerias e preços.

É certo que estas sacolas acabam prejudicando a natureza e os diversos ecossistemas com os quais o ser humano interage. Mas ao mesmo tempo a sua utilidade é inegável.

Utilizar sacolas de papel é uma alternativa interessante, mas acredito que o prejuízo pode ser grande, pois ainda não temos um sistema de abastecimento de papel reciclado confiável e usar árvores para gerar o papel acaba sendo um outro problema.

As sacolas retornáveis, feitas de plástico, são uma alternativa razoável, mas entra em cena a questão cultural, as pessoas não gostam muito de carregar sacolas ao fazerem compras. Ainda podemos observar que muitas destas sacolas são produzidas sob condições nada ecológicas…

Há alguns anos atrás eu entrei em contato com alguns supermercados da região. Para alguns eu liguei, para outros mandei e-mail e para outros liguei para o serviço de atendimento ao cliente.

Infelizmente não observei qualquer mudança que tenha resultado da minha iniciativa.

A minha sugestão foi a de que os supermercados poderiam usar plástico biodegradável nas sacolas. Esta simples iniciativa poderia por fim a esta polêmica que já dura anos.

Comentei com várias pessoas, defendi a ideia, mas não tinha ainda visto ela ser colocada em prática. Acredito que o custo para produzir sacolas que se degradam sozinhas deveria ser o impeditivo para o seu uso e implementação. É claro que isto poderia ser absorvido por grandes redes de supermercados mas mesmo assim não parece ter sensibilizado os donos e proprietários dos mesmos e muito menos mobilizado a população para pedir o seu uso.

Estes dias fui fazer compra em um pequeno supermercado aqui da região: o Super Zoni. Ao sair com as compras tive uma grata surpresa!!! Destacado nas sacolas a informação que elas iriam se decompor em aproximadamente 18 meses.

Enfim uma empresa começava a utilizar a ideia que eu tive há tantos anos, é claro que provavelmente não apenas eu.

Não sei dizer se outras redes maiores já fazem o mesmo, mas qui na região de Brusque e Blumenau este é o primeiro que eu vejo.

Iniciativas como estas deixam a gente, nós que nos preocupamos com o planeta, feliz!

Sensibilidade e preocupação com a natureza são atitudes cada vez mais necessárias.

Espero que esta iniciativa seja seguida por outras empresas que utilizam as sacolas plásticas, espero que com esta popularização o custo para produzi-las se torne cada vez mais acessível e a escala de uso aumente.

Seguem algumas fotos para ilustrar: