Impressão de Gráficos


Muitos gráficos radiestésicos costumam acumular energia e saturar, neste momento o ideal é trocar o gráfico ou então limpá-lo, quando foram impressos em material acrílico por exemplo. Para os que foram impressos em papel o melhor é jogar fora e imprimir um novo.

Tempos atrás eu fiquei insatisfeito com a qualidade de muitos gráficos que eu tinha obtido da internet, assim usei o Corel Draw e redesenhei eles. Ficaram muito bons em comparação com os antigos.

Eles estão disponíveis em meu hd virtual. Eu não lembro direito a versão do Corel que eu usei, alguns estão na 10, outros no X3 e alguns no X5. Mas coloquei um arquivo em PDF para os que não sabem usar o Corel e querem imprimir os gráficos.

Estes dias eu descobri em uma gráfica rápida aqui da cidade um material muito bom, não lembro agora o nome do papel que eles usaram, mas tinha 270 de gramatura e a impressora era de alta qualidade. Paguei R$ 4,00 por uma impressão em A3, na qual eu consegui encaixar quatro gráficos, que depois foram recortados adequadamente. Ficou excelente. Uma ótima impressão aliada com um papel de qualidade e bem grosso.

Praticamente desisti de imprimir em casa, o que na verdade ficava mais barato mas a qualidade não compensava, além de não conseguir usar um papel tão grosso, na jato de tinta dá para colocar um de 180 g, mas na laser tem que ser no máximo 150 g.

Agora acho que vou revisar os gráficos e colocar versões em A3, não é algo tão necessário, pois o pessoal da gráfica faz este ajuste na hora da impressão e normalmente não cobra por isto.

Assim de tempos em tempos fica mais fácil trocar os gráficos. Seja por saturarem ou mesmo porque acabam ficando com uma aparência muito ruim. 

hd virtual:  http://www.4shared.com/dir/9916319/d4007f48/sharing.html

 

 

 

Reiki ocasional


Uma das características do Reiki que me encanta é a total falta de controle por parte do reikiano sobre o Reiki, ou seja, como é a pessoa que recebe o Reiki que determina o quanto irá receber o reikiano atua como um canal, é apenas o meio através do qual a energia do Reiki toma forma. Este processo é totalmente inconsciente, ocorre ao longo de toda a vida do reikiano, sendo ativado sempre que alguém necessitado entra em contato com o reikiano.

Imaginem a amplitude deste processo, imaginem a quantidade de pessoas que é beneficiada por um reikiano nível II, sem que ele ao menos saiba o que está acontecendo. A medida que o reikiano vai interagindo com os ambientes ao longo do seu dia vai espalhando a energia do Reiki para todos, sendo que a maioria nem tem consciência do que está acontecendo.

É claro que o próprio reikiano também se beneficia. De duas formas, a primeira a mais básica que existe no Universo: se você oferece o Bem você recebe este Bem de volta; e a segunda: ao canalisar o Reiki parte da energia permanece no sistema energético do reikiano, beneficiando-o da forma que ele necessita.

A aplicação de Reiki ocasional é a mais comum de acontecer, é desta forma que reikianos de todos os níveis colaboram com o planeta enviando Reiki para pessoas, animais, locais, objetos.

O processo de envio depende do nível de cada reikiano, para os que são nível I existe a necessidade de tocar ou aproximar a mão da outra pessoa para que o Reiki flua, mas mesmo ao sentarem junto em um banco ou tocarem um móvel junto com outra pessoa já é suficiente. A partir do nível II basta a presença do reikiano no ambiente para que todos se beneficiem. Muda do nível II para o IIIA apenas a abrangência, sendo que estes últimos podem enviar o Reiki para muitas pessoas, inclusive para todo o planeta.

Esta visão é tão fantástica que a gente muitas vezes até se esquece dela. É fácil não perceber o fato acontecendo, as pessoas sendo beneficiadas. Mesmo porque a maioria dos reikianos não tem a menor percepção do envio do Reiki, ainda mais em situações de stress ou no corre-corre do dia a dia.

Vou postar a seguir a técnica do Reiki Contínuo e tem um texto do William Lee Rand sobre a comprovação clarividente que eu acho muito legal, inclusive postei ele aqui.

Mas voltando ao foco do Reiki ocasional, mesmo com toda a sua importância ele não concorre no desenvolvimento do reikiano como deveria. Não chega a ser o Chiryo, pelo menos não aquele que o mestre Usui ensinava.

Isto se deve ao fato de não haver consciência do que está acontecendo, ou quando existe ela é muito pequena. A aplicação sobre a qual se fala nos Pilares do Reiki é bem diferente, veremos ela nos próximos posts.

Este fato entretanto, pelo exposto acima, não diminui em nada a importância do Reiki e muito menos diminui o trabalho voluntário que os reikianos fazem espalhando esta energia pelo planeta todo. O que eu pontuo é que existe uma diferença, bem importante na verdade.

 

 

Qual o maior obstáculo ao seu crescimento?


Esta pergunta é muito importante. Além disto ela é muito fácil de ser respondida.

O maior empecilho para o seu crescimento, desenvolvimento. O maior bloqueio, o maior ponto de resistência é:

Você mesmo!

Interessante isto.

Eu diria também: que simples!

Mas ao mesmo tempo tão complexo!

Algo a se pensar!

 

Chiryo – 1


O Chiryo, a aplicação, é um dos pilares do Reiki. Não é o mais importante, é um dos três e desenvolver apenas ele não é o ideal pois o reikiano ficará desequilibrado, mas podemos tecer algumas considerações.

Uma das visões sobre o Chiryo é que ele funciona de duas formas distintas:

  • a primeira é a aplicação mais tradicional, mais formal, onde o reikiano executa todos os passos da aplicação, em um local especial, em uma maca ou sofá. Neste modo o nosso nível de consciência é muito alto, podemos perceber uma série de detalhes e a interação com o cliente é muito grande;
  • a segunda é uma aplicação ocasional, rápida. Ela é muito útil e importante, mas devido a estas características há muito pouca consciência envolvida. É uma aplicação feita em um encontro em que a pessoa relata algum desconforto, feita com a pessoa sentada em uma cadeira ou mesmo deitada. Também acontece com a simples aproximação do reikiano, com o toque na mão, no ombro;

Vamos detalhar um pouco mais estas duas formas.

Pilares do Reiki – 2


Outro aspecto interessante a respeito dos Pilares é que eles, como o próprio nome sugere, são fundamentais. Eles dão sustentação ao reikiano.

Infelizmente no Ocidente eles são pouco divulgados e menos ainda utilizados. Isto faz com que os reikianos usem pouco da sua capacidade e também se desenvolvam pouco em seus potenciais.

Preciso dizer, um pouco triste, que eu também me encontro capenga, ou seja, não desenvolvo todos os pilares de forma harmônica. Meu maior pecado é a meditação Gassho, normalmente me esqueço de praticá-la. O Chiryo está em dia, até porque eu trabalho com Terapia e a Indicação da Alma eu pratico constantemente.

Talvez agora, motivado pelo post, eu resolva me dedicar um pouco mais na meditação. Vamos ver… :>

Pilares do Reiki


O Reiki Usui está baseado em três grandes pilares: O Reiji-ho, ou Indicação da Alma, a Meditação Gassho e o Chiryo ou aplicação. Estes pilares eram ensinados pelo mestre Mikao Usui no modelo original do Reiki. Quando a Takata trouxe o Reiki para o Ocidente ela suprimiu esta informação, provavelmente por achá-la pouco aceitável por nós ocidentais.

Logo no começo de minhas pesquisas eu senti uma afinidade muito grande com estes conceitos e resolvi acrescentá-los nos meus cursos.

Depois de tanto tempo ensinando posso dizer que a receptividade é boa, mas a aplicação é razoável. Aplicar os Pilares no dia a dia exige disciplina e comprometimento, além disto também é necessário que exista uma motivação para utilizá-los, uma razão, caso contrário acabam caindo no esquecimento.

Já comentei anteriormente sobre a Indicação da Alma. Vamos ver a seguir um pouco mais sobre o Chiryo.

A aplicação do Reiki, o Chiryo, é muito simples no Sistema Oriental, não exige nenhuma posição, nenhum conhecimento, mas em contra-partida exige um desenvolvimento, de nossa sensibilidade ao aplicar, na identificação das regiões potencialmente problemáticas. É o chamado Byosen, que posso comentar com mais detalhes em outro post.

Já no sistema Ocidental nós temos as posições fixas, que facilitam e tornam a aplicação mais prática. Se aliarmos a estas posições algum conhecimento sobre os grandes chakras, aspectos emocionais e físicos, podemos obter um resultado mais interessante da aplicação.

O uso das posições padronizadas auxilia o reikiano no seu começo, simplificando e acalmando a mente sobre preocupações referentes a estar aplicando corretamente. Com o uso continuado acabamos todos, reikianos, por desenvolver nossa sensibilidade, e aos poucos, vamos permitindo que a nossa intuição nos guie, desta forma lentamente vamos nos afastando do padrão de aplicação, o que é algo muito prazeroso e positivo.

 

 

Sobre o Karuna Ki


É necessário ter o nível II do Reiki Usui para ser iniciado no Karuna nível I. Qual a razão?

Podemos listar diversas razões. Eu penso que principalmente pelo fato de que no nível II do Usui começamos um trabalho de limpeza, de transformação em nossa vida. Antigos problemas e dificuldades voltam a nossa consciência para serem eliminados, o que implica em um aumento do nível de energia disponível e também um aumento no nível de consciência.

Este novo patamar no nosso nível de consciência é importante pois ele permite uma integração mais efetiva com a energia do Karuna. Neste processo de aumentar o nível de nossa consciência podemos nos conhecer melhor e nos aprofundar mais em nosso ser, isto é fundamental para podermos trabalhar com a energia do Karuna I.

Basicamente o nível I do Karuna nos oferece a oportunidade de incrementar o amor e a compaixão por nós mesmos. Não há como amar verdadeiramente o outro se não amarmos a nós mesmos antes. O amor que podemos expressar é uma relação direta do amor que podemos sentir por nós mesmos. Quanto mais nos amamos mais iremos amar os outros seres.

Entretanto, para amar a nós mesmos faz-se necessário que tenhamos um conhecimento a respeito de nós mesmos. Faz-se necessário iniciar um processo de auto-descoberta, de aceitação do que somos. E este não é um processo fácil. É simples, existem vários caminhos, mas não é fácil. Envolve dedicação, disciplina e uma profunda sinceridade.

O Karuna trabalha com o nosso inconsciente, permitindo que uma limpeza aconteça, liberando energia que será usada por nossa consciência para o nosso crescimento.

Não posso afirmar que seja uma forma mais fácil de se iniciar o processo, mas a presença da amada Kwan Yin e a sua disponibilidade em nos auxiliar é um diferencial que raramente encontramos em outras técnicas e métodos.

Assim, convido todos os reikianos nível II a se iniciarem neste sistema. Vejam na página de iniciações como fazer.